link link link
link link
love is pain
»
20.5.2014 + reblog + 32.039 notas + via - source
Ela tem uma risada incrível. E sem querer ser um babaca, mas ela tem tudo pra ser perfeita. Mas não é, claro. Ela tem mil idiotices e chatices na bagagem. E ela tem medo de tudo. Tem um ar de menina independente, que não precisa de ninguém. Mas quando tá no escuro, ainda pede pra alguém abrir um pouquinho a porta e deixar a luz entrar. Ela tem vergonha até de ligar pra pizzaria pra pedir uma pizza, cara. Quem no mundo é assim? Mas ela é tão indiferente, que a minha diferença não afeta ela em nada. Eu acho que ela pode ser o mundo inteiro se ela quiser. E ela é teimosa. E guarda rancor na mala. Ela sabe perdoar, mas precisa de umas aulinhas de como esquecer. Quando ela desiste ou acha que sabe de tudo, não tem jeito. Meu Deus, que mania insuportável que ela tem de achar que pode burlar tudo o que mandam ela fazer. Porque ela nunca tá satisfeita com nada. Nadinha.
Robin and Stubb (via so-quotes)
Fonte:escreve-e-voa
20.5.2014 + reblog + 8.396 notas + via - source
Fonte:soulnder
18.5.2014 + reblog + 3.240 notas + via - source
Não sei o que está acontecendo comigo, diz a paciente para o psiquiatra. Ela sabe. Não sei se gosto mesmo da minha namorada, diz um amigo para outro. Ele sabe. Não sei se quero continuar com a vida que tenho, pensamos em silêncio. Sabemos, sim. Sabemos tudo o que sentimos porque algo dentro de nós grita. Tentamos abafar esse grito com conversas tolas, elucubrações, esoterismo, leituras dinâmicas, namoros virtuais, mas não importa o método que iremos utilizar para procurar uma verdade que se encaixe em nossos planos: será infrutífero. A verdade já está dentro, a verdade se impõe, fala mais alto que nós, ela grita. Sabemos se amamos ou não alguém, mesmo que esteja escrito que é um amor que não serve, que nos rejeita, um amor que não vai resultar em nada. Costumamos desviar esse amor para outro amor, um amor aceitável, fácil, sereno. Podemos dar todas as provas ao mundo de que não amamos uma pessoa e amamos outra, mas sabemos, lá dentro, quem é que está no controle. A verdade grita. Provoca febre, salta aos olhos, desenvolve úlceras. Nosso corpo é a casa da verdade, lá de dentro vêm todas as informações que passarão por uma triagem particular: algumas verdades a gente deixa sair, outras a gente aprisiona e finge esquecer. Mas há uma verdade única: ninguém tem dúvida sobre si mesmo. Podemos passar anos nos dedicando a um emprego sabendo que ele não nos trará recompensa emocional. Podemos conviver com uma pessoa mesmo sabendo que ela não merece confiança. Fazemos essas escolhas por serem as mais sensatas ou práticas, mas nem sempre elas estão de acordo com os gritos de dentro, aquelas vozes que dizem: vá por este caminho, se preferir, mas você nasceu para o caminho oposto. Até mesmo a felicidade, tão propagada, pode ser uma opção contrária ao que intimamente desejamos. Você cumpre o ritual todinho, faz tudo como o esperado, e é feliz, puxa, como é feliz. E o grito lá dentro: mas você não queria ser feliz, queria viver! Eu não sei se teria coragem de jogar tudo para o alto. Sabe. Eu não sei por que sou assim. Sabe.
Martha Medeiros.    (via shelter-is)
Fonte:quoteiros
15.5.2014 + reblog + 7.470 notas + via - source
Sempre muito animada ou então deprimida, com ela não havia esse negócio de meio termo. Segundo alguns, era louca. Opinião de apáticos. Que jamais poderiam compreendê-la. Para os homens, parecia apenas uma máquina de fazer sexo e pouco estavam ligando para a possibilidade de que fosse maluca. E passava a vida a dançar, a namorar e beijar. Mas, salvo raras exceções, na hora agá sempre encontrava forma de sumir e deixar todo mundo na mão.
Charles Bukowski.    (via auroriar)
Fonte:aprendizdepoeta
12.5.2014 + reblog + 114.810 notas + via - source
Fonte:pokec0re
12.5.2014 + reblog + 7.206 notas + via - source

Dylan

Fonte:trickins
12.5.2014 + reblog + 1.815 notas + via - source
Fonte:Flickr / justinwkern
12.5.2014 + reblog + 794 notas + via - source
Fonte:pleasingpics
8.5.2014 + reblog + 131.860 notas + via - source
Fonte:beben-eleben
6.5.2014 + reblog + 334 notas + via - source
Fonte:reveriesdouces
6.5.2014 + reblog + 14.880 notas + via - source

Eu e meu querido marido, John, eramos casados há 46 anos. Todos os anos, no dia dos namorados, ele me enviava as mais lindas flores, com um bilhete contendo cinco simples palavras: “Meu amor por você cresce.” 4 filhos, 46 buquês de flores, e uma vida inteira de amor, esse era o legado de John para mim, quando ele faleceu, há dois anos atrás. No meu primeiro dia dos namorados sem o John, dez meses depois que ele morreu, fiquei chocada quando recebi um lindo buquê de flores… Como os que John me mandava. Irritada, e com o coração partido, eu liguei para a loja de flores, para dizer que eles tinham se enganado e mandado flores para o endereço errado. Logo após eu falar isso, o Floricultor me respondeu: “Não madame, não foi engano. Antes de falecer, seu marido nos pediu para que nós garantismos que você continuasse recebendo os buquês de flores no dia dos namorados, por muitos anos.” Com o coração nas mãos, eu desliguei o telefone e fui ler o bilhete que estava no buquê de flores. No cartão dizia: “Meu amor por você é eterno.”

Fonte:orgulhador
6.5.2014 + reblog + 121.743 notas + via - source
6.5.2014 + reblog + 9.628 notas + via - source
Fonte:burberryinstagram
6.5.2014 + reblog + 173.900 notas + via - source
Fonte:sexual-passion
6.5.2014 + reblog + 2.952 notas + via - source
Fonte:fotografias-s
theme
theme by
inacabar